Seja um(a) filiado(a) do Sinpro Goiás! Juntos podemos mais!

Presidente do Sinpro Goiás concedeu entrevista pela TV Goiânia Band, no último domingo

O Presidente do Sindicato dos Professores do Estado de Goiás (Sinpro Goiás), o Professor e Sociólogo, Alan Francisco de Carvalho foi o entrevistado de estréia do programa Intervalo de Aula, exibido pela TV Goiânia Band, canal 11, no último domingo, 30, às 10 horas.

Questões salariais, lutas dos professores, o que eles pensam sobre a profissão no Brasil, educação inclusiva e a importância da graduação e pós-graduação no país, foram  alguns dos temas abordados pelo programa.

O Presidente respondeu questões sobre os desafios de ser professor no Brasil, salário da categoria, a falta de valorização profissional e, também, falou sobre o Sinpro Goiás e o trabalho desenvolvido pela entidade.

O programa tem a missão de debater a educação por meio de uma pluralidade de vozes – professores (as), profissionais da educação em geral, pesquisadores, intelectuais, entidades de classe, entre outros; dando visibilidade aos assuntos educacionais que tanto merecem a atenção por parte de todas as esferas da sociedade, bem como, política, econômica, cultural e midiática.

O Intervalo de Aula, que é oferecido pela Faculdade Araguaia, tem a sua frente, a apresentadora, jornalista Tatiana Carilly, que é professora, mestre em Comunicação Social (UFG), e doutorada em Educação (PUC Goiás).

 O programa será exibido sempre, aos domingos, às 10 h.

 

Se você não assistiu, confira o programa aqui.

 

 

 

Jorn. FERNANDA MACHADO

Assess. de Imprensa do Sinpro Goiás

 

 

 

 

Tire suas dúvidas

  1. Gleide Oliveira

    vocês sempre falam tanto sobre o salário dos professores da rede pública, mas os professores que ainda não estão concursados, ou seja da rede particular, também precisa de um salário mais digno, como vocês do simpro vê essa questão.

    • Sinpro Goiás

      Cara professora Gleide,
      A valorização dos profissionais da educação escolar, quer de escolas públicas quer particulares, é princípio constitucional sobre o qual se assenta a educação nacional. Infelizmente, nos dois casos este princípio ainda não se concretizou. Os profissionais das escolas públicas gozam de direitos muito mais amplos do que os das escolas particulares, como por exemplo, a estabilidade, quadro de carreira e destinação de 1/3 da carga horária semanal para planejamento e avaliação. No tocante aos salários, puro e simples, o dos professores das escolas particulares em Goiás é maior, como o vencimento base, pois totalizam R$ 1936,20 por 40 (quarenta) horas semanais, enquanto daqueles é de R$ 1697,37.
      Att,
      Sinpro Goiás

Deixe aqui sua pergunta


*